1676678400
1693440000
1674950400

Próxima Exposição

18/02/2023 - 31/08/2023

In the Pictorial Code

David Maljković

 

O Quetzal Art Center tem o orgulho de apresentar a exposição individual de David Maljković intitulada In the Pictorial Code.

A prática artística de Maljković tem como eixo central uma exploração organizada de questões formalistas. Ao mesmo tempo que a narrativa é o elemento condutor na origem de um projeto, os diversos meios de implementação visual utilizados pelo artista modificam e comprometem de maneira profunda e consistente a sua supremacia, seja através da fotografia, vídeo, escultura, instalação, colagem ou pintura. O processo de construção dentro de um conjunto de diretrizes formais codifica as suas narrativas e postula aquilo que o artista define como uma nova lógica semântica. Praticamente toda a obra de Maljković relaciona-se com marcos históricos e tecnológicos que são caracterizados por situações tanto locais como universais. Em cada uma delas, a erosão e corrupção da memória são os temas deixados ao espectador.

In the Pictorial Code apresenta trabalhos recentes que jogam com a ideia da pintura como um guardião do tempo e da posição do pintor como sua testemunha. A exposição estabelece um sistema de marcação que encarna a posição da imagem dentro da prática do autor, e segue também o rasto do seu deslocamento para outros suportes. Em trabalhos recentes, este papel mediador de diferentes meios atua em segundo plano, enquanto o regresso à linguagem da pintura assume o direito de precedência. Esta imersão no processo de pintura e a própria linguagem da pintura acontecem através de processos de expansão, contração e sobreposição da sintaxe da pintura e dos seus protagonistas. Os próprios efeitos dessa linguagem estão separados do tema, e por outro lado procuram o seu devido lugar. Os motivos tornam-se personagens e os seus papéis mudam na construção da própria pintura.

À primeira vista, as selecções de motivos funcionam como plataformas metafóricas sobre as quais (ou à volta das quais) elas são objetificadas e se tornam pintura, entendida num sentido mais lato. Estes temas assumem a sua natureza secundária e tornam-se signos cujo conteúdo, bem como as relações que mantêm entre si, é posicionado e moderado justamente pelo processo de pintura. Nessa paisagem pictórica a exposição abre-se panoramicamente, permitindo ao nosso olhar vaguear por entre objetos e pinturas. A materialidade do próprio código pictórico não se contém exclusivamente na pintura, podendo ser encontrada na restante prática do artista. De pintura para pintura, de pintura para objecto, o código epónimo comporta-se de outro modo. No entanto, a pictorialidade é constante e a chave para a sua leitura.

 

Para estimular a curiosidade, gostaríamos de partilhar o vídeo de David Malkjovic que o levará numa viagem ficcional através da exposição, explorando o seu novo corpo de trabalho.

David Maljković nasceu em Rijeka, Croácia. Estudou na Academia de Belas Artes da Universidade de Zagreb e na Rijksakademie em Amsterdão. Atualmente vive e trabalha em Zagreb. Contam-se entre as exposições individuais de Maljković: The Renaissance Society, Chicago; Palais de Tokyo, Paris; Kunstmuseum Sankt Gallen; BALTIC Centre for Contemporary Art, Gateshead; GAMeC, Bergamo; CAC Vilnius; Sculpture Center, Nova Iorque; Kunsthalle Basel; Van Abbemuseum, Eindhoven; Secession, Viena; Museo Reina Sofia, Madrid; Whitechapel, Londres; CAPC Musee d’art Contemporain, Bordeaux; e MOMA PS1. O seu trabalho foi apresentado em museus como Kunsthaus Bregenz; MAXXI Roma; MUSAC Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y Léon, Espanha; The Power Plant, Toronto; Wiels Contemporary Art Centre, Bruxelas; e Centre Pompidou, Paris. Maljković participou em numerosas exposições coletivas de grande escala, incluindo a 11ª Bienal de Gwangju; a 56ª Bienal de Veneza; La Triennale, Paris; a 29ª Bienal de São Paulo; as 11ª e 9º Bienais de Istambul; a 4ª Bienal de Tirana; e a 5ª Bienal de Berlim, entre outras. Os seus trabalhos integram importantes coleções públicas como as do Centre Pompidou, Paris; MUMOK, Viena; Museo Reina Sofia, Madrid; MOMA, Nova Iorque; Stedelijk Museum, Amsterdão; e a Tate Collection, Londres.

 

Com agradecimentos a Annet Gelink – Rialto 6, Lisboa – Sprüth Magers – T293, Roma