1648598400
1680220800
1670544000

Exposição Actual

30/03/2022

Thru the Mirror

A exposição Thru the Mirror, no Centro de Arte Quetzal, reúne obras de Özgür Kar, Martha Colburn, Joyce Pensato e Catherine Biocca que fazem uso da linguagem visual de desenhos animados para revelar verdades sombrias sobre nós mesmos. Embora habitados por personagens improváveis (um tapete que fala?), os desenhos animados são uma forma de a nossa sociedade se olhar ao espelho, revelando as nossas obsessões e ideais. E através da sua dicotomia do ‘bem contra o mal’ e do reforço de estereótipos, infiltraram-se na nossa consciência.

Thru the Mirror revela uma perturbadora ressonância entre o universo slapstick dos desenhos animados e a nossa experiência do mundo. As obras lançam luz sobre a realidade crua por detrás da linguagem visual dos desenhos animados e aproveitam-na de modo a produzir comentários incisivos sobre a sociedade em que vivemos.

Vejamos Bearer of the bad news (2021), de Özgür Kar, onde encontramos um esqueleto que fala. Baseia-se nos esqueletos da tradição medieval da danse macabre, mas este esqueleto não dança nem faz pouco de nós, mortais. Pelo contrário, confinado a uma caixa, resignado e ligeiramente confuso com o estado do mundo, ele partilha connosco a sua perspectiva existencialista.

A morte é um tema recorrente em desenhos animados, e Martha Colburn sabe-o bem. No seu filme Dolls versus Dictators (2010), personagens infantis de televisão, como Pee Wee Herman e os Power Rangers, combatem os terríveis ditadores que governavam à época em que o filme foi feito. A violência insólita que surge no filme faz eco das crueldades reais levadas a cabo por ditadores como Islam Karimov do Uzbequistão, que cozia vivos os seus adversários.

No trabalho de Joyce Pensato encontramos as cruas realidades por detrás de desenhos animados populares. No meio do entulho do seu estúdio de Brooklyn, Fuggetabout It IX (2012), podemos ver o Rato Mickey, Batman e Homer Simpson. E, contudo, não os reconhecemos exactamente. É assim que as personagens se revelam quando entram no nosso mundo, ou antes no mundo de Pensato. Ao ampliar as características que os distinguem (como as orelhas de morcego de Batman), Pensato revela as dinâmicas interior-exterior da sociedade norte-americana.

Por fim, na instalação de Catherine Biocca, Magic Carpet (2017), assistimos a um diálogo entre uma pedra e um tapete mágico. Quando a pedra pede ao tapete ajuda para aprender a voar, é impiedosamente ignorada. Aquilo que parece ser uma troca despreocupada e absurda confronta-nos com um traço perturbador da natureza humana: Schadenfreude, a capacidade para desfrutar do sofrimento de outros que é tão importante na indústria do entretenimento.

Thru the Mirror tem curadoria de Aveline de Bruin.
Texto de Leonor Faber-Jonker.

 

Para mais informações sobre a nossa exposição faça o Download do folheto ou leia a publicação em Independent Collectors.
Para celebrar a queda dos Ditadores e para inauguração desta exposição, Martha Colburn realizou o vídeo ‘Dolls versus Dictators: Explained’.